ALCOÓLICOS ANÔNIMOS é uma irmandade de homens e mulheres que compartilham suas experiências, for ças e esperanças, a fim de resolver seu problema comum e ajudar outros a se recuperarem do alcoolismo. O único requisito para se tornar membro é o desejo de parar de beber. Para ser membro de A.A. não há taxas ou mensalidades; somos auto-suficientes, graças às nossas próprias contribuições.

Encontre um grupo!

Cidade:

Listar grupos


Reflexões Diárias

 

03 de Setembro

CONSTRUINDO UMA NOVA VIDA

Aquele que diz que basta a sobriedade é um homem sem consideração.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 102

 

Quando reflito sobre o Nono Passo, vejo que a sobriedade física deve bastar para mim. Preciso lembrar-me da desesperança que sentia antes de encontrar a sobriedade, e como estava disposto a fazer qualquer coisa para consegui-la. Sobriedade física não é o bastante para aqueles que estão à minha volta, contudo, devo cuidar para que a dádiva de Deus seja usada para construir uma vida nova para minha família e as pessoas a quem amo.

É igualmente importante que eu deva estar disponível para ajudar outros que desejam a maneira de vida de A.A.

Peço a Deus que me ajude a compartilhar a dádiva da sobriedade para que aqueles a quem conheço e amam possam ver seus benefícios.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 255

02 de Setembro

ENCONTRANDO “UMA RAZÃO PARA ACREDITAR”

A disposição para crescer é a essência de todo desenvolvimento espiritual.

NA OPINIÃO DO BILL, p. 171

 

Um verso de uma canção diz: “... E procuro uma razão para acreditar...”. Isto me faz lembrar que numa certa época eu não era capaz de encontrar uma razão para acreditar que minha vida estava bem. Embora minha vida tivesse sido salva por minha vinda ao A.A., três meses mais tarde fui e bebi novamente.

Alguém me disse: “Você não precisa acreditar. Será que você não está disposto a acreditar que há uma razão para sua vida, embora você possa não saber qual é ou que algumas vezes não saber a maneira correta de se comportar?” Quando estava disposto a acreditar que havia uma razão para a minha vida, então pude começar a trabalhar nos Passos. Agora, quando começo com: “Eu estou disposto...”, estou usando a chave que leva à ação, à honestidade e uma abertura para um Poder Superior que se manifesta em minha vida.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 254

01 de Setembro

DISPOSIÇÃO PARA CRESCER

Se temos que receber outras dádivas, nosso despertar tem que continuar.

NA OPINIÃO DO BILL, p. 08

 

A sobriedade preenche o doloroso “buraco na alma” que meu alcoolismo criou. Muitas vezes me sinto fisicamente tão bem, que acredito que meu trabalho já foi feito. Contudo, a alegria não é apenas a ausência de dor; ela é a dádiva de um contínuo despertar espiritual. A alegria vem de um estudo ativo e progressivo, bem como da aplicação dos princípios de recuperação em minha vida diária, e de compartilhar esta experiência com os outros. Meu Poder Superior apresenta muitas oportunidades para um mais profundo despertar espiritual. Preciso somente trazer para minha recuperação a disposição de crescer. Hoje estou pronto para crescer.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 253

03 de Agosto

... SER ÚTIL

Nosso objetivo primordial é ajustar-nos para que sejamos de utilidade máxima a Deus e aos que nos rodeiam.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 97

 

É claro que o plano de Deus para mim é expresso através do amor. Deus me amou o bastante para me tirar dos becos e cadeias para que pudesse ser transformado em um participante útil em Seu mundo. Minha resposta é amar todos os Seus filhos através do serviço e pelo exemplo. Peço a Deus para me ajudar a imitar o Seu amor por mim, através de meu amor pelos outros.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 224

02 de Agosto

NÓS NOS TORNAMOS DISPOSTOS...

Neste momento, estamos tentando pôr em ordem nossas vidas.
Mas, isto não é um fim em si.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 97

 

Como posso, facilmente, ficar mal-orientado ao aproximar-me do Oitavo Passo! Desejo ser livre e transformado de alguma maneira pela prática do Sexto e Sétimo Passos. Agora, mas que do que nunca, sou vulnerável ao egoísmo e à minha agenda oculta. Preciso cuidar de lembrar que a auto-satisfação, alguma vezes proveniente do perdão das pessoas que prejudiquei, não é meu verdadeiro objetivo. Torno-me disposto a fazer reparações, sabendo que através deste processo sou corrigido e ajustado de seguir adiante, conhecer e desejar a vontade de Deus para mim.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 223

01 de Agosto

VIVENDO-A

A vida espiritual não é uma teoria. É preciso vivê-la.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 102

 

Quando novo no programa eu não podia compreender como viver o aspecto espiritual do programa, mas agora que estou sóbrio, não posso compreender a vida sem ele. Espiritualidade era o que eu estava procurando. Deus, como eu O concebo, deu-me as respostas aos “porquês” que me mantiveram bebendo por vinte anos. Vivendo uma vida espiritual, pedindo a ajuda de Deus, aprendi a amar, cuidar e sentir compaixão por todos os meus companheiros, e sentir alegria num mundo onde antes, sentia somente medo.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 222

03 de Julho

EXPERIÊNCIA: O MELHOR PROFESSOR

Sendo ainda inexperiente e havendo, só agora, entrado em contato consciente com Deus, não é provável que estejamos inspirados a todo instante.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 106

 

Alguns dizem que a experiência é o melhor professor, mas eu acredito que a experiência é o único professor. Fui capaz de saber do amor de Deus por mim somente pela experiência de minha dependência desse amor. No início não estava seguro de Sua orientação em minha vida, mas agora vejo que, se estou confiante o bastante para pedir por Sua orientação, devo agir como se Ele a tenha fornecido. Freqüentemente peço a Deus que me ajude a lembrar que Ele tem um caminho para mim.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 193

02 de Julho

O CORAÇÃO DE UMA VERDADEIRA SOBRIEDADE

Verificamos não haver necessidade de que ninguém tenha dificuldade com a espiritualidade do programa. Boa vontade, honestidade e uma mente aberta são os elementos essenciais à recuperação. E são indispensáveis.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 194

 

Sou bastante honesto para me aceitar como sou e deixar que isto seja o “eu” que deixo os outros ver? Tenho a boa vontade para ir a qualquer distância e fazer o que for necessário para manter-me sóbrio? Tenho a mente aberta para ouvir o que preciso ouvir, pensar o que preciso pensar, e sentir o que preciso sentir?

Se minha resposta a estas questões é “sim”, quer dizer que sei o suficiente sobre a espiritualidade do programa para manter-me sóbrio.

À medida que continuo a praticar os Doze Passos, caminho em direção ao coração da sobriedade verdadeira: serenidade comigo mesmo, com os outros e com Deus como eu O concebo.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 192

01 de Julho

O MELHOR PARA HOJE

Os princípios expostos são guias para o progresso.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 81

 

Tal como o escultor usa ferramentas diferentes para alcançar os efeitos desejados ao criar uma obra de arte, em Alcoólicos Anônimos os Doze Passos são usados para produzir resultados em minha própria vida. Não sou esmagado com os problemas da vida e nem a quantidade de trabalho que está por vir.

Me sinto confortado em saber que minha vida agora está nas mãos de meu Poder Superior, um mestre artífice que está moldando cada parte de minha vida numa única obra de arte.

Trabalhando meu programa posso me dar por satisfeito, sabendo que “fazendo o melhor que podemos, por hoje, estamos fazendo tudo o que Deus nos pede”.

 REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 191

03 de Junho

NUMA ASA E NUMA ORAÇÃO

... olhamos então para o Sexto Passo. Frisamos que a boa vontade é indispensável.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 96

 

O Quarto e Quinto Passos são difíceis, mas de grande valor. Agora estava parado no Sexto Passo e, em desespero, peguei o Livro Grande e li esta passagem. Estava fora, rezando por vontade própria, quando levantei meus olhos e vi um grande pássaro subindo para o céu. Eu o observei subitamente entregar-se às poderosas correntes de ar das montanhas. Levado pelo vento, mergulhando e elevando-se, o pássaro fez coisas aparentemente impossíveis. Foi um exemplo inspirador de uma criatura “soltando-se” para um poder maior que ela própria. Percebi que o pássaro “retomasse seus controles” e tentasse voar com menos confiança, apenas com sua força, poderia estragar o seu aparente vôo livre. Esta percepção me deu disposição para rezar a Oração do Sétimo Passo.

Nem sempre é fácil conhecer a vontade de Deus. Devo procurar e estar pronto para aproveitar as correntes de ar, pois é aí que a oração e a meditação ajudam. Porque por mim mesmo eu não sou nada, peço a Deus que me conceda o conhecimento de Sua vontade e força e coragem para transmiti-la – hoje.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 163

02 de Junho

O CAMINHO ASCENDENTE

Eis os Passos que demos...

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 80

 

Estas são as palavras introdutórias aos Doze Passos. Na sua simplicidade direta elas deixam de lado todas as considerações psicológicas e filosóficas sobre a virtude dos Passos. Eles descrevem o que fiz: pratiquei os Passos e o resultado foi a sobriedade. Estas palavras não implicam em que eu deva caminhar pela estrada trilhada pelos que vieram antes. Ao invés disso mostram que existe uma maneira de ficar sóbrio, e que é um caminho que eu preciso encontrar. É um caminho novo que leva para a luz infinita no topo da montanha. Os Passos me aconselham sobre os apoios que são seguros e os abismos a evitar. Eles me fornecem as ferramentas de que preciso durante grande parte da jornada solitária de minha alma. Quando falo desta jornada, compartilho minha experiência, força e esperança com os outros.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 162

01 de Junho

UM NOVO PONTO DE VISTA

Todos os nossos pontos de vista e atitudes perante a vida irão se modificar.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 103

 

Quando bebia, minha atitude era totalmente egoísta, totalmente auto-centrada: meu prazer e meu conforto vinham em primeiro lugar. Agora que estou sóbrio, o egoísmo começou a ir embora. Toda minha atitude em relação à vida e às outras pessoas está mudando. Para mim, o primeiro “A” em nosso nome significa “atitude”. Minha atitude é mudada pelo segundo “A” em nosso nome que significa “ação”. Praticando os Passos, assistindo às reuniões e transmitindo a mensagem, posso recuperar minha sanidade. Ação é a palavra mágica! Com uma atitude positiva de ajuda e uma ação regular em A.A., posso manter-me sóbrio e ajudar os outros a alcançar a sobriedade. Minha atitude agora é a de estar disposto a caminhar qualquer distância para manter-me sóbrio.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 161

03 de Maio

LIMPEZA DA CASA

De algum modo, estar sozinho com Deus não parece ser tão embaraçoso quanto enfrentar outra pessoa. Até que resolvamos sentar e falar em voz alta a respeito das coisas que há tempos temos escondido, nossa disposição de “limpar a casa” é meramente teórica.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 52

 

Era até comum para mim falar com Deus e comigo mesmo sobre meus defeitos de caráter. Mas, sentar-me cara a cara e discutir abertamente estas intimidades com outra pessoa era muito mais difícil. Nessa experiência eu reconheci, entretanto, um alívio semelhante ao que experimentei quando admiti pela primeira vez que sou um alcoólico. Comecei então a apreciar o significado espiritual do programa, e a compreender que este Passo era apenas uma introdução do que ainda estava por vir nos restantes sete Passos.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 132

02 de Maio

ILUMINANDO O PASSADO ESCURO

Agarre-se à idéia de que, nas mãos de Deus, o passado negro é o maior bem que você possui – a chave para a vida e a felicidade de outros. Com ela você pode afastar deles a morte e a miséria.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 141

 

Meu passado não é mais uma autobiografia; é um livro de referência para ser tirado da estante, aberto e compartilhado. Hoje quando relato por dever, sai a mais maravilhosa pintura, porque, embora este dia seja negro – como acontece com alguns dias – as estrelas brilharão com mais intensidade mais tarde. Em um futuro muito próximo serei chamado para atestar que elas brilham. Todo meu passado será neste dia parte de mim, porque ele é a chave não a fechadura.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 131

01 de Maio

CURANDO O CORAÇÃO E A MENTE

Admitimos perante Deus, perante nós mesmos e perante outro ser humano a natureza exata de nossas falhas.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES, p. 48

 

Desde que é verdade que Deus vem para mim através das pessoas, posso ver que mantendo as pessoas à distância, eu também mantenho Deus à distância. Deus está muito mais perto de mim do que eu penso, e posso senti-Lo amando as pessoas e permitindo que elas me amem. Mas não posso nem amar e nem ser amado, se permito que meus segredos fiquem no caminho.

O meu lado que recuso olhar é que me governa. Devo ter disposição para olhar o lado negro, a fim de curar minha mente e o meu coração, porque este é o caminho da liberdade. Devo caminhar na escuridão para encontrar a luz, e caminhar no medo para encontrar a paz.

Revelando meus segredos – e assim me livrando da culpa – posso de fato mudar meu pensamento; alterando o meu pensamento; posso mudar a mim mesmo. Meus pensamentos criam meu futuro. O que serei amanhã é determinado pelo que penso hoje.

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 130

03 de Abril

ACEITAR QUE SOMOS HUMANOS

Finalmente vimos que o inventario deveria ser nosso não de outra pessoa. Assim, admitimos nossos defeitos honestamente e nos dispusemos a colocar estes assuntos em ordem.

NA OPINIÃO DE BILL

 

Porque é tão difícil para o alcoólico aceitar responsabilidade?
Costumava beber devido às coisas que as outras pessoas faziam para mim. Quando vim para AA me falaram para ver em que havia me equivocado. O que tinha eu a ver com todos estes diferentes assuntos? Quando simplesmente aceitei que eu tinha uma parte neles, fui capaz de colocá-los no papel e vê-los como eram: coisas humanas.
Não espero ser perfeito! Fiz erros, antes e farei novamente. Ser honesto a respeito deles permitiu-me aceitá-los – e aceitar a mim mesmo – bem como aqueles com quem tinha diferenças.
A partir de então, a recuperação está cada vez mais próxima de mim.
 
página 102

02 de Abril

CONSTRUINDO O CARÁTER

Exigir dos outros excessiva atenção, proteção e amor, só pode despertar a dominação ou a revolta.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES

 

Quando descobri minha necessidade de aprovação no Quarto Passo, não pensava considerá-la como um defeito de caráter.
Preferia que era uma qualidade vantajosa (o desejo de agradar as pessoas). Rapidamente mostraram que esta “necessidade” pode ser paralisante. Hoje ainda gosto de obter a aprovação dos outros, mas não estou mais disponível a pagar o preço que costumava para conseguí-la. Não me curvo mais como uma rosca para conseguir que os outros gostem de mim. Se consigo a sua aprovação, isto é muito bom; mas se não, eu sobreviverei sem ela. Sou responsável por falar o que considero ser a verdade, não o que penso que os outros possam querer ouvir.
Similarmente, meu falso orgulho me mantinha damasiadamante preocupado com minha reputação. Desde então, sendo iluminado pelo programa de AA, minha intenção é melhorar o meu caráter.

página 101

01 de Abril

OLHANDO DENTRO

Fizemos minucioso e destemido inventário moral de nós mesmos.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES

 

O Quarto Passo é um esforço vigoroso e cuidadoso para descobrir em cada um de nós quais eram e quais são nossos defeitos. Desejo descobrir exatamente como, quando e onde meus desejos naturais se deformaram. Desejo olhar honestamente a infelicidade que isto causou aos outros e a mim. Descobrindo quais são as minhas deformidades emocionais, posso corrigi-las. Sem um esforço persistente e boa vontade para fazer isto, haverá pouca sobriedade ou contentamento para mim.
Necessito ter um conhecimento claro e seguro de mim mesmo para resolver emoções confusas. Tal percepção não acontece da noite para o dia e nenhuma autoconsciência é permanente.
Todos têm capacidade para crescer e para se conhecer através de um encontro honesto com a realidade. Quando não evito os problemas, mas os enfrento diretamente, sempre tentando resolvê-los, eles se tornam poucos
 
Página 100
 
 

03 de Março

VENCENDO A VONTADE PRÓPRIA

Assim, achamos que nossos problemas basicamente encontram suas origens em nós mesmos. Criamos nossos próprios problemas e pode-se dizer que o alcoólico é um exemplo da vontade própria desenfreada, embora não acredite. Sobretudo, nós alcoólicos precisamos nos desfazer desse egoísmo.
Precisamos, ou ele nos matará!

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 83

Por muitos anos, minha vida girou apenas em voltar de mim mesmo. Estava absorto pelo ego em todas suas formas – egocentrismo, auto-piedade, egoísmo, tudo que se originava do orgulho. Hoje me foi dada a graça através da irmandade de Alcoólicos Anônimos, praticando os Passos e Tradições na vida diária, através de meu Grupo e de meu padrinho e ainda – se eu assim quiser – através da capacidade de colocar meu orgulho de lado em todas as situações que surgem em minha vida.

Até que eu possa, honestamente, olhar a mim mesmo e ver que eu era o problema em muitas situações, e reagir apropriadamente interna e externamente; até que eu possa livrar-me das minhas expectativas e entender que minha serenidade está diretamente proporcional a elas, não posso experimentar a serenidade e uma sólida sobriedade

 

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 71

02 de Março

ESPERANÇA

Não desanime.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p. 81

     Poucas experiências são de menor valor para mim do que a sobriedade conseguida com rapidez. Muitas vezes o desânimo foi o bônus para expectativas pouco realistas, sem mencionar a auto-piedade e a fadiga do meu desejo de mudar o mundo num fim-de-semana. Desânimo é um sinal de alerta a possibilidade de estar me desviando da linha de Deus. O segredo de preencher meu potencial é reconhecer quais as minhas limitações e acreditar que o tempo é uma dádiva, não uma ameaça.

     Esperança é a chave que abre a porta do desânimo. O programa me promete que se eu não tomar o primeiro gole hoje, sempre terei a esperança. Tendo vindo a acreditar que mantenho aquilo que compartilho, à toda hora que eu encorajo o outro recebo coragem. É com os outros que, com a graça de Deus e a irmandade de A. A., percorro a estrada de um destino feliz. Que eu possa sempre lembrar que a força dentro de mim é muito maior do que qualquer medo à minha frente. Que eu possa sempre ter paciência, porque estou no caminho certo.  

 

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 70

01 de Março

FUNCIONA

Funciona – realmente funciona.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS, p.107

Quando consegui ficar sóbrio, no início eu tinha fé somente no programa de Alcoólicos Anônimos. Desespero e medo mantiveram-me sóbrio (e talvez um atencioso e severo padrinho ajudou-me). A fé em um Poder Superior veio mais tarde. Esta fé chegou lentamente a princípio, depois que eu comecei a ouvir os outros compartilhando nas reuniões suas experiências – experiências as quais nunca tinha enfrentado sóbrio, mas que eles estavam encarando reforçados por um Poder Superior. Desse compartilhar veio a esperança de que eu também poderia conseguir um Poder Superior. Com o tempo aprendi que um Poder Superior – uma fé que funciona sob qualquer condição – é possível. Hoje esta fé, mais a honestidade, uma mente aberta e boa vontade de praticar os Passos do programa, dão-me a serenidade que procurava. Funciona – realmente funciona.

 

REFLEXÕES DIÁRIAS, p. 69

03 de Fevereiro

PREENCHENDO UMA LACUNA

Bastava para o caso fazermo-nos uma lacônica pergunta: “Creio agora ou estou disposto a crer que exista um Poder Superior a mim mesmo?” uma vez que um homem possa responder que crê ou quer acreditar, asseguramos-lhe enfaticamente que está no caminho do êxito.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

 Sempre fui fascinado com o estudo dos princípios científicos. Estava emocional e fisicamente distante das pessoas enquanto procurava o Conhecimento absoluto. Deus e espiritualidade eram exercícios acadêmicos, sem significado. Era um moderno homem de ciência, o conhecimento era o meu Poder Superior. Colocando a equação na posição correta a vida era apenas outro problema.

Mas meu ego interior estava morrendo pela solução proposta pelo meu homem exterior para os problemas da vida e a solução sempre foi o álcool. Apesar de minha inteligência, o álcool tornou-se meu poder superior. Foi através do amor incondicional que emana das pessoas de AA e das reuniões, que fui capaz de descartar o álcool como meu poder superior.

A grande lacuna estava preenchida. Não estava sozinho e separado da vida. Tinha encontrado um verdadeiro Poder Superior a mim mesmo, tinha encontrado o amor de Deus. Existe somente uma equação que realmente me importa agora. Deus estar em AA.

02 de Fevereiro

SALVO POR RENDER-SE

É por uma característica do chamado alcoólico típico ser egocêntrico e narcisista, ser dominado por sentimentos de onipotência e ter intenção de manter a todo custo sua integridade interior... Interiormente o alcoólico não aceita ser controlado pelo homem ou por Deus. Ele, o alcoólico, é e precisa ser – o dono de seu destino. Lutará até o fim para preservar essa posição.

AA ATINGE A MAOIRIDADE

O grande mistério é: Por que alguns de nós morrem de alcoolismo, lutando para preservar a independência de nosso ego, enquanto outros conseguem ficar sóbrios em AA aparentemente sem esforços? A ajuda de um poder superior, a dádiva da sobriedade, aconteceu para mim quando um inexplicável desejo de parar de beber coincidiu com minha disposição de aceitar as sugestões dos homens e mulheres de AA. Precisei render-me, pois somente alcançando Deus e meus companheiros eu poderia ser salvo 

01 de Fevereiro

ALVO: SANIDADE

“... o Segundo Passo, sutil e gradualmente, começou a se infiltrar em minha vida. Não posso dizer a ocasião e a data em que vim a acreditar num Poder Superior a mim mesmo, mas certamente tenho essa crença agora”.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES.

 “Viemos a acreditar”. Eu acreditava da boca pra fora quando sentia vontade ou pensava que ficaria bem. Eu realmente não confiava em Deus. Não acreditava que Ele se preocupava comigo. Continuei tentando mudar as coisas que eu não podia mudar. Aos poucos, de má vontade, comecei a colocar tudo nas mãos de Dele dizendo: “Você é onipotente, então tome conta disto.” Ele tomou. Comecei a ter respostas para os meus problemas mais profundos, para o trabalho, comendo um lanche, ou quando estava adormecido. Percebi que eu não tinha pensado naquelas soluções – um Poder Superior a mim mesmo as estava dando.
Eu vim a acreditar.

03 de Janeiro

IMPOTÊNCIA

Admitimos que éramos impotente perante o álcool, que tínhamos perdido o domínio sobre nossas vidas.

OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES

...comentários de um membro...

Não é coincidência que o Primeiro Passo mencione impotência. Uma admissão de impotência pessoal perante o álcool é a pedra fundamental do alicerce da sobriedade.
Aprendi que não tenho o poder e o controle que uma vez pensei ter. Sou impotente sobre o que as pessoas pensam sobre mim. Sou impotente até por ter perdido o ônibus. Sou impotente sobre como as outras pessoas praticam (ou não praticam) os Passos. Mas, também aprendi que não sou impotente perante algumas coisas. Não sou impotente perante minhas atitudes. Não sou impotente perante a negatividade. Não sou impotente sobre assumir responsabilidades por minha própria sobriedade. Tenho o poder de exercer uma influência positiva sobre mim mesmo, as pessoas que amo e o mundo em que vivo.
 

02 de Janeiro

PRIMEIRO, O ALICERCE

A sobriedade é tudo que devemos esperar de despertar espiritual? Não, sobriedade é apenas um simples começo.

NA OPINIÃO DE BILL

 

...comentários de um membro...
Praticar o programa de AA é como construir uma casa.
Primeiro tenho que vazar uma grande e ampla laje de concreto sobre a qual construirei a casa. Isso, para mim, foi o equivalente a parar de beber. Mas é muito desconfortável viver sobre uma laje de concreto, desprotegido e exposto ao calor, frio, vento e chuva. Assim eu construirei um quarto sobre a laje ao começar a praticar o programa. O primeiro quarto foi vacilante porque eu não estava acostumado ao trabalho. Mas com o passar do tempo, praticando o programa, aprendi a construir quartos melhores. Quanto mais eu construía, mais confortável e feliz ficava a casa em que agora vivo.

01 de Janeiro

EU SOU UM MILAGRE

O fato central de nossas vidas hoje é a absoluta certeza de que o Criador entrou em nossos corações, de maneira realmente milagrosa, fazendo por nós o que nunca poderíamos fazer por nós mesmos.

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS

...comentários de um membro...

Realmente este é um fato na minha vida hoje, e um milagre real. Eu sempre acreditei em Deus, mas nunca pude dar um significado a esta crença.
Graças a Alcoólicos Anônimos, agora confio e conto com Deus como eu o entendo, estou sóbrio graças a isto!
Aprender a confiar e a contar com Deus foi algo que eu nunca poderia fazer sozinho. Agora acredito em milagres porque eu sou um!

Copyright (C) Todos os direitos reservados à A.A. Piauí / ESL Piauí

RUA BARROSO, 450 / SALAS 101/103 / CENTRO / CEP: 64.000-130 / TERESINA-PI